Sobre o Projeto do Documentário
Como Tudo Começou?

Crianças Venezuelanas em Boa Vista-RR Junho de 2018. A diretora da obra audiovisual, Bruna Bittencourt, foi até Roraima e presenciou a vida daqueles que ali estavam e, muito comovida, inicialmente fez um desabafo. Com o tempo passando, suas inúmeras idas à Roraima e, inquieta com a desumanidade escancarada em nossos olhos, resolveu trazer essa história à tona, para que todos vejam o que ela viu, sintam o que ela sentiu e reflitam: Qual o real significado de humanidade?

"Passei boa parte da minha semana refletindo e digerindo todas as informações e experiências dessa aventura. Sinceramente, a todos que me perguntam, muitas vezes não sei o que dizer, mas apenas que foi espetacular. Mas quer saber a verdade? Com aperto no peito, tenho que dizer que espetacular não significa que foi fácil, e muito menos bonita. Bonito mesmo foi poder olhar nos olhos de seres humanos incríveis e ver a esperança renascer. Bonito mesmo foi colocar um sorriso no rosto de pessoas que se sentem abandonadas e esquecidas. Bonito mesmo foi aprender o real significado de humanidade, fraternidade e respeito. Mas não tem nada de bonito na dureza da realidade escancarada em nossas caras.” Diz Bruna.

Bruna Bittencourt - Diretora do Documentário“Essa é a realidade em que vive os venezuelanos em Roraima. Ali a vida é dura, machuca, cutuca, te encara e grita. Nos olhos de quem ali estava, sentia-se falta do brilho da esperança. Mas como eu disse, foi espetacular! Uma experiência que todo ser humano deveria vivenciar, e então entender que a coisa mais simples do mundo, e que faz do nosso mundo um lugar melhor: A humanidade dentro de nós. Olhar nos olhos e, com muito pouco, ver aquela luz da esperança brilhar novamente, engrandece os corações e faz tudo valer a pena. E a verdade é uma só... por mais impotente que se sinta, saiba que o que você entende como pouco, para outros é muito. Ali, a dificuldade da vida escancarada na sua cara, suplica ajuda! E se fosse você, seu amigo, seu ente querido ou um mero conhecido?” Completa a diretora.

“Eu fiz essa canção pro tempo, pra ver se o tempo me dá um pouco mais de tempo, pra ver se eu te convenço, que a gente é mais que isso.” - Canção pro Tempo, Projota.

“A gente é mais que isso. A vida é muito mais que isso!”

Que diferença este filme fará?

A importância de falar da história do nosso país é óbvia, e mais ainda quando está presente e afetando nossa sociedade atualmente. A crise humanitária é, talvez, uma das piores crises que são ignoradas pelas massas. Atendimento médico aos Venezuelanos Contudo, sua causa e efeito é gravíssima e, hoje em dia, presente em nosso cotidiano brasileiro, vivenciamos uma situação de emergência, em que a vida de um grande número de pessoas se encontra ameaçada. Para evitar uma catástrofe ou pelo menos limitar as suas consequências, para o povo venezuelano e também para o brasileiro, surge a necessidade de ajuda humanitária, que nada mais é do que a solidariedade e fraternidade para com outros povos.

Durante toda a história do Brasil, nosso país foi de missão pacificadora e não é agora que isso deve mudar, porém o país como um todo precisa se conscientizar da importância da fraternidade e o real significado de gratidão. Desde o século XX, vemos um aumento considerável no número de ocorrências de crises humanitárias e com milhares de vítimas de guerras civis, limpezas étnicas ou genocídios, e por isso, contar a história que até o momento está sendo tampada com a peneira é tão importante. Com o objetivo não apenas de documentar a realidade ali presente, mas também de conscientização, podemos perceber que nós não somos tão diferentes e não estamos distantes da realidade deste povo que hoje nos pede auxílio, afinal, a ajuda não é apenas para os venezuelanos, mas sim para todos os brasileiros também afetados por esta crise, e para o estado de Roraima, que o restante do país esqueceu de sua existência.

E Agora?

Uma história impactante que está presente nos nossos dias atuais exige imediatismo. Por isso, toda nossa equipe está se preparando e batalhando muito para que seja possível contar uma história de tanta grandeza. Porém, sem o apoio de cada um, nada será possível!
Neste momento, estamos em busca de arrecadação para a produção desta obra que foi iniciada, efetivamente, em novembro. Nosso objetivo, neste momento, é continuar nossa gravação e finaliza-la, para que possamos dar o próximo passo.

Através destes fundos de financiamento, que são fundamentais para continuarmos a filmar, vamos chamar a atenção para uma das maiores e mais sérias crises humanitárias da atualidade. Estes não são fundos para completar o filme, mas ajudarão a avançar no projeto! Leva tempo e uma grande comunidade para fazer um filme que ficará para a história, mas com o apoio de cada um, tudo será possível! Junte-se à luta!

Patrocínio

Este filme está sendo financiado através da lei de incentivo à cultura nº 8.685/93, também conhecida como a Lei do Audiovisual.
Recebemos a aprovação do projeto através da Agencia Nacional de Cinema (ANCINE) para captar recursos através de renúncia fiscal do Imposto de Renda para pessoas Físicas e Jurídicas.


Saiba mais clicando Aqui!
Para apoiar como Pessoa Física
Sua contribuição poderá ser abatiba do seu IR devedor ou retido na fonte no limite de até 6% do IR (na declaração completa).
Para patrocinar como Pessoa Jurídica
Seu patrocínio poderá ser abatibo do seu IR devedor ou retido na fonte no limite de até 4% do IR (para empresas enquadradas na lei do audiovisual).

Sobre a Produtora

DOT Films

Um produtora com projetos alinhados à causas sociais
A Dot Films nasceu com o propósito de produzir vídeos e filmes que prioritariamente tragam reflexão a um mundo que caminha para rumos de segregação, divisão e polarização.
Valorizar os propósitos sociais e o engajamento de ações de mudança para esta sociedade que perdeu o real sentido de vida. 

Queremos utilizar a linguagem cinematográfica para contar as histórias que tirem as pessoas do lugar comum e repensem seus valores e objetivos.
Visite o site da Dot Films